Google+ Badge

COMPARTILHE

quinta-feira, 18 de abril de 2013

"ANUS SOLAR"





Gerson Nei Lemos Schulz


Escrito em homenagem
a Gilles Deleuze
e Félix Guattari 
Autores de: 
O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia



Gilles Deleuze e Félix Guattari
http://rede.outraspalavras.net
Deleuze e Guattari, em seu "O Anti-Édipo" (1972, p. 7), afirmam: "Isto funciona por toda a parte: umas vezes sem parar, outras descontinuamente. Isto respira, isto aquece, isto come. Isto caga, isto fode."

E continuam: "[...] O que há por toda parte são máquinas: e sem qualquer metáfora, máquinas de máquinas com as suas ligações e conexões. [...] O seio é uma máquina de produzir leite e a boca uma máquina que se liga com ela. A boca do anoréxico hesita entre uma máquina de comer, uma máquina de falar, uma máquina de respirar (ataque de asma)."

Essa reflexão me leva a outras. Não pode também a boca daquele que mama na mulher hesitar entre sugar o leite ou sugar o bico seco para satisfazer o falo; e a mulher não pode dar de "mamar" para satisfazer o desejo de sua máquina uterina, sedenta do leite da máquina homem para produzir outra 'máquina'?

Para Deleuze: "[...] todos somos 'bricoleurs', cada um com as suas pequenas máquinas. Uma máquina órgão para uma máquina energia, e sempre fluxos e cortes." Não somos máquinas que chupam, comem, bebem, cospem, ejaculam outras máquinas?

Dizem os autores: "O presidente Schreber tem raios de sol no cu. Ânus solar. E podem ter a certeza que isto funciona. O presidente Schreber sente qualquer coisa, produz alguma coisa, e é capaz de o teorizar. Algo se produz: efeitos de máquinas e não metáforas."

E este é apenas o primeiro parágrafo da obra mencionada!
E o conceito de máquina "bricoleur" e o "Anus Solar"? 
Como Descartes postulou no século XVII: "Penso, logo existo", e  com isso censurava a idade média ao afirmar que o corpo nada tem de sagrado, pois no mundo medieval caso alguém dissecasse um cadáver, era preso sob acusação de violar a obra de "deus". O 'bricoleur' é a colagem, o pastiche, o corte e o fluxo de energias e conexões.
Fonte: http://www.quadradodosloucos.com.br

Deleuze e Guattari autorizam a pensar que o homem é "máquina", mas não apenas racional, como imaginava Descartes. É "máquina de máquina", "máquina desejante". O homem e a mulher têm 'desejos'. De sexo, de comida, de abrigo, de vida, de morte... (suicídio!)

Humanos cagam, fodem, respiram, bebem, comem, vomitam... humanos consomem e produzem coisas, aquecem... teorizar é produzir discursos. Penso que é fazer-se claro diante dos outros humanos/máquinas é ser reconhecido, mandar os outros engolirem sua produção. É, com Foucault, subir ao topo de uma relação de poder?

Os dois autores fazem refletir: o "rabo" (palavra citada várias vezes ao longo da obra) é a porta de saída (ou de entrada) daquilo que se produz?

Deleuze e Guattari me fazem pensar no que eles chamam de "Anus Solar"...

É o chefe que comanda tudo? Que produz? Então, pela lógica, sua "merda" também deve ser consumida.
Assim, a "merda" (aquilo que ele/a fala, pensa, manda...) e a "merda" (fezes) vai/ão do esgoto para a terra/mente, de volta para a água/boca, para a lavoura/texto, portanto, para a máquina boca/palavra; dentro do alimento merda/discurso, ordem...

Come-se 'nós mesmos', come-se e bebe 'nossa merda' na água poluída, na comida contaminada,  se não a "merda" biológica, a "merda" pesticida. A "merda" fumaça! A "merda" em forma de lei. Na lei reina o excelentíssimo "Cu Solaris Mor", o cu do Estado que julga, condena e mata.

A vida se resume a comer, foder e defecar! E os nossos líderes? Não são o "Cu Solaris" porque são os chefes? Produzem também toda "merda" que as máquinas menores (nós) podem/mos consumir. Afirmam Deleuze e Guattari: "Anus Solar".

Os chefes têm o 'sol no cu?' Caso tenham, então ele/s é/são o "Cu Solaris". Parece-me que o chefe não é um pavão por causa da vaidade, ele não esconde os pés como aquele, ele esconde o "cu" atrás do sol que tem dentro do seu rabo!

Assim, o chefe é o "Cu Solaris" por excelência porque, quem mais poderoso que o astro rei? O chefe é o rei. Que todos o obedeçam! Ele manda nas reuniões, brilha nas festas. Só ele se senta em uma mesa com outros chefes! Ele precisa mostrar o sol dentro do cu para os subordinados verem e ficarem cegos de admiração!

Mas dois chefes (Cu Solaris) na mesma festa, mesa... na mesma sala... só se toleram se forem de departamentos diferentes, e por pouco tempo, pois não pode haver dois sois no mesmo sistema solar.


"Cu Solaris"
Desenho de: Gerson N. L. Schulz

O "Cu Solaris" pode "foder" os outros (foda simbólica e também foda literal) e ser fodido ao mesmo tempo (dependendo da preferência sexual do chefe masculino, pois se for chefa é outra história...).

Os raios solares produzidos pelo "Cu Chefal" trucidam, cortam, escolhem, eliminam, julgam, ligam, dissimulam, desligam, justificam, e também promovem quem sua vontade anal desejar. Talvez outros "cus" menores que têm potencial, mas ainda não oferecem perigo para seu reinado.

Acredito que há vários tipos de Cu Solaris: o chefe na empresa – "Ânus Capitalista"? O capataz de fábrica ou de loja – "Ânus Gerente"? O chefe de escritório, de sala de aula, mestre de obras, engenheiro – "Ânus Epistemológico"? Na igreja – papa, cardeal, bispo, padre – "Ânus Religioso"? No quartel e na polícia – general, coronel, major, capitão, delegado, escrivão – "Ânus D'armas? Nas religiões: Moisés, Maomé, Jesus, Buda, Krishna "Ânus mestre", o "Ânus Universalis", pois podem até mesmo, "foder" a máquina homem na vida após a morte (caso ela exista).

O "Ânus Solar" é poderoso, tão poderoso que, quando se aposenta, não perde a majestade, ele apenas a tem enfraquecida, "Anus Rubro", como as estrelas que ficam vermelhas à beira da morte.

"Outros tipos de Ânus Solar"
Desenho de: Gerson N. L. Schulz
Caso isto esteja correto, sempre me pergunto: o que fazer contra a atitude anal dos chefes? Como se defender disso? Como não ser fulminado por seus raios? Pois, caso o subalterno se rebele, pode ser trucidado pelo "Cu Solaris".

Por um lado, ou se come o que a máquina chefal produz ou, por outro, se "come" a própria máquina chefal, mas isso se se quer e se deseja um dia ter também o sol no 'rabo'. 
Penso que o problema é quando não se deseja nenhuma das duas opções, aí resta ser expulso do jogo anal, ou seja, 'se foder' porque... é o chefe quem tem o 'cu iluminado' e não você ou eu.

Por fim, não gosto de escrever sobre conselhos, mas é bom não esquecer, se entrar no jogo anal (qualquer que seja) lembre-se que o chefe não deve ser julgado pela cara, seu currículo começa por aquilo que produz. O chefe, se isso está correto, deve ser admirado ou odiado pelo ânus, pois não é a toa que tudo que ele/a faz, corta, liga, aprova, desaprova, recomenda, gosta, produz fica registrado em seus fulgurantes "anais"...