Google+ Badge

COMPARTILHE

domingo, 1 de maio de 2011

O QUE É POSITIVISMO?

GERSON NEI LEMOS SCHULZ



Em muitos casos é comum um aluno bem informado chamar um ou outro professor de "positivista" quando este professor cobra na prova uma resposta tal qual foi escrita no quadro ou quando privilegia quantitativamente as notas reprovando alguém por décimos. Bom, mas o que é, afinal, o Positivismo?

Auguste Comte (1798-1857) 
Fundador do Positivismo
Fonte desta imagem: http://www.controversia.com/
Para o Positivismo, a sociedade existe naturalmente e sua configuração (o modo de ser) representa a natureza das relações humanas. Da mesma forma, como é natural, ela (a sociedade) também evolui naturalmente de acordo com as leis naturais coercitivas em relação aos sujeitos, isto é, as leis que o homem cria são a expressão simbólica (escrita ou falada) daquilo que já existe na natureza. Assim como na natureza pensa-se que os mais fortes governam (e o exemplo predileto dos positivistas vem do mundo animal onde os predadores como tigres, leões, leopardos "comandam" a floresta, porque são mais fortes) da mesma forma no mundo humano os mais fortes (fisicamente, em riquezas ou inteligência) devem liderar.

Quanto ao cientista este deve ser neutro, inclusive nas ciências sociais, pois para conhecer a sociedade ele (cientista) deve empregar o método científico de forma imparcial, assim o sujeito que investiga a realidade apreende a verdade. Isto é, os positivistas afirmam que um cientista consegue "fotografar" a realidade tal qual ela é por meio do método científico.

O Positivismo também pensa a sociedade tal qual Charles Darwin concebeu o mundo natural (flora e fauna), então assim como Darwin identificou que plantas e animais se desenvolvem adaptando-se ao meio no qual estão inseridos, e os mais aptos, apenas, sobrevivem; da mesma forma o Positivismo acredita que há leis específicas que determinam a evolução da humanidade e, sendo assim, também determinam as funções sociais de cada fato social, grupo ou instituição. Em outras palavras, se os mais fortes devem comandar os mais fracos, é normal (porque é natural) que os intelectuais (médicos, professores, advogados etc.) comandem os outros e ganhem mais que faxineiros, empregadas domésticas e etc. Então, para eles (positivistas) o filho de um faxineiro não deverá jamais ser médico porque seu pai ou mãe é faxineiro, em contrapartida o filho do médico deverá, necessariamente, ser médico porque é filho do "mais forte", assim como na selva o filho do leão (forte) será sempre leão e o filho do coelho (fraco) será sempre coelho.

Por fim, como é uma sociedade natural, problemas sociais como a fome, a miséria ou o desemprego são disfunções sociais e precisam ser corrigidos para que o organismo funcione bem. Quer dizer, o Positivismo também concebe a sociedade como se fosse o corpo humano, então se os intestinos estão sofrendo disenteria, todos os demais órgãos sofrem. Por isso a função dos governos é corrigir o "órgão" doente por quaisquer meios para que a sociedade volte a funcionar.

Aplicado ao cotidiano, seria normal que o governo reprimisse violentamente (caso necessário) um protesto (que pode ser uma passeata, uma greve) de um estamento social, pois esse protesto (por melhores salários, por moradia etc.) seria uma disfunção social e, portanto, antinatural.