Google+ Badge

COMPARTILHE

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

AS COSMOVISÕES DA FILOSOFIA



SEÇÃO: ESQUEMA 1


Dr. Gerson N. L. Schulz
Professor do Ensino Superior no Brasil




Você sabe o que é uma "cosmovisão"? Já ouviu falar em "positivismo", "materialismo-histórico", "fenomenologia", "genealogia" e "perspectivismo"? Não? Então, na "seção esquema 1" de hoje, tenha acesso a um vídeo sobre o assunto e a um quadro comparativo.

E, após assistir ao vídeo e ler o quadro, analise seus filmes prediletos, seus livros, desenhos e outros, e descubra baseado em qual das teses abaixo os autores se inspiraram para escrever, produzir e pintar.








POSITIVISMO
MATERIALISMO HISTÓRICO

FENOMENOLOGIA

GENEALOGIA
PERSPECTIVISMO

COMTE – DÜRKEIM

HEGEL – MARX

HUSSERL – WEBER

NIETZSCHE – FOUCAULT

LEIBNITZ – NIETZSCHE

Funcionalismo

Dialética

Estruturalismo

Hermenêutica

Ontologia

* A sociedade é natural, representa a natureza das relações humanas;
* A sociedade evolui naturalmente de acordo com as leis naturais coercitivas em relação aos sujeitos;
* Para conhecer a sociedade o cientista deve empregar o método científico de forma neutra, o sujeito que investiga apreende a verdade;
* As leis específicas de evolução da sociedade determinam as funções sociais de cada fato social, grupo ou instituição. Problemas sociais como a fome, a miséria ou o desemprego são disfunções sociais e precisam ser corrigidos para que o organismo funcione bem.

* A sociedade é histórica, resulta do movimento contraditório dos sujeitos em relação às estruturas sociais;
* A sociedade se transforma pela ação contraditória dos grupos sociais que agem condicionados por estruturas sociais historicamente dadas;
* Todo objeto está inserido numa totalidade histórica dada;
* Todo sujeito está limitado na apreensão do objeto pelo horizonte histórico que compartilha;
* A sociedade esta estruturada a partir das relações econômicas e sociais correspondentes a cada período histórico;
* Um dado desenvolvimento tecnológico e uma dada relação de produção comum geram distintas classes sociais;
* A luta das classes sociais está condicionada pelo horizonte histórico destas relações sociais sob o qual se realiza;
* A sociedade chegará ao grau máximo de desenvolvimento histórico, humano, social quando, finalmente, a luta de classes ficar insuportável entre proletários e burgueses e os primeiros tomarem os meios de produção, gerando o socialismo e depois, o último estágio, o comunismo.

* A sociedade é cultural, conforma-se de acordo com a vontade dos sujeitos;
* É inerente à sociedade a existência de uma estrutura própria de desenvolvimento cuja descoberta de sua dinâmica cabe ao cientista social ou ao filósofo;
* As alterações dos processos sociais são resultantes das ações de sujeitos ou grupos que se associam para fazer prevalecer sua vontade;
* Para cada objeto e para cada sujeito há inúmeras possibilidades de apreensão, não há verdade, mas interpretações relativas a cada sujeito sob seu ponto de vista;
*A relação entre sujeitos e grupos sociais é permeada pelas disputas de poder que determinam a realização dos projetos do grupo vencedor;
* A forma de funcionamento da sociedade resulta destas disputas.

* A sociedade é aquilo que se interpreta de si mesma;
* As alterações dos processos sociais são o resultado dos discursos que a própria sociedade produz, então não existem essências de classes ou estamentos sociais;
*A genealogia busca o valor da origem e a origem do valor;
* O poder não está na riqueza ou na pobreza de alguém porque o poder não é algo que se possua, que se venda, ele é uma relação;
* Tanto ricos e pobres podem exercer poder, a sociedade então se configura e se divide entre aqueles que exercem mais ou menos poder não sendo, necessariamente e o tempo todo, sempre apenas o grupo mais rico o grupo dominante;
* A genealogia não se preocupa em saber o que é certo ou errado do ponto de vista moral, lógico ou epistemológico, entende que a verdade é um discurso que é aceito por determinado período de tempo e que há várias verdades que se enfrentam podendo prevalecer uma ou várias delas, dependendo do poder do grupo que a elabora e do poder do discurso de verdade produzido. 


* A sociedade e todas as instituições dela derivadas são apenas uma invenção;
* A sociedade é fruto daquilo que é capaz de interpretar sobre si mesma e o parâmetro para isso é o poder de interpretação dos indivíduos;
* Qualquer das teorias científicas, filosóficas, históricas, sociológicas são apenas um ponto de
vista;
* A verdade é o ponto de vista do expectador e depende dos parâmetros que ele toma para elaborá-la;
*As ciências humanas e naturais são apenas construções culturais sujeitas ao contexto ontológico dos indivíduos.
* Não há certo e errado em campo algum do saber, o que há são interpretações;
* O próprio conhecimento é uma invenção;
* Não há fatos, somente interpretações;
* Não há mais sujeito, somente indivíduos;
* O perspectivismo não trabalha com a ideia de "normal" e "patológico", o "moral" e o "imoral", pois eles também são invenções;
* Aquilo que se chama "verdade" é sempre aquilo que se presta para resolver um problema até que apareça outra solução melhor;
* Para o perspectivismo é inútil tentar compreender a totalidade, pois o conhecimento é sempre um fragmento. É sempre "mutatis mutandis".


segunda-feira, 23 de novembro de 2015

IMPASSE NO CASTELO DE ASSIS BRASIL EM PEDRAS ALTAS - RS - BRASIL



RESENHA CRÍTICA


DANIELA FETER

GRADUADA EM ARTES VISUAIS - UFPEL
GRADUANDA EM 
CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO - UFPEL




A resenha critica pretende, partindo da análise de três elementos fundamentais, discorrer sobre a história do Castelo de Assis Brasil. A partir das Leis N. 11.904 de 14 de janeiro de 2009, que "Institui o Estatuto de Museus e da outras providencias". Do Decreto N. 8.124 de 17 de outubro de 2013 que "Regulamenta dispositivos da Lei N. 11.904, de 14 de janeiro de 2009, que institui o Estatuto de Museus". E da Lei N. 11.906, de 20 de janeiro de 2009, que cria o "Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM".

A Granja de Pedras Altas foi um grande projeto de Joaquim Francisco de Assis Brasil, diplomata, político e escritor nascido no Rio Grande do Sul, no ano de 1857. Sendo, assim, o 'Castelo de Assis Brasil' construído em 1912, na cidade de Pedras Altas - RS - Brasil.

Conta-se que o diplomata, apaixonado pela segunda esposa de origem europeia, tinha a intenção de trazer um pouco de sua realidade aos Pampas. O local é em estilo medieval, construído com granito rosa, pedra típica da região. O mobiliário, possui peças trazidas de Lisboa, Washington, Paris e Buenos Aires. Lugares onde morou enquanto desempenhava função diplomática. 

Possui também uma "função" histórica, pois nele foi assinado o Tratado de Paz que pôs fim a Revolução de 1923, além de representar importância na pecuária. Segundo o IPHAE  Assis Brasil "pretendia provar que um pequeno pedaço de terra poderia ser tão produtivo quanto uma grande propriedade, se fossem usadas técnicas modernas e racionais".[1]

Sua importância arquitetônica, o acervo de documentos, a valiosa biblioteca com seus milhares de títulos, o acervo fotográfico e seu rico mobiliário são a razão do tombamento em 1999 pelo IPHAE. Sobre a edificação é importante salientar:

Além das razões históricas para o tombamento, a granja modelo de Pedras Altas é um exemplo no uso de técnicas pioneiras no sistema construtivo e na infraestrutura dos prédios, como iluminação a gás, captação de águas pluviais para abastecimento, preocupação com conforto térmico. Em termos paisagísticos, salientam-se a implantação do conjunto e sua riqueza plástica, incluindo-se o castelo, as edificações e instalações rurais, potreiros, acessos, jardins e alamedas (Livro Tombo, IPHAE).

 Há uma legislação que regulamenta a instauração de museus e, a salvaguarda de bens culturais. É a "LEI Nº 11.904, DE 14 DE JANEIRO DE 2009 que em seu Art. 1o, diz:

Consideram-se museus, para os efeitos desta Lei, as instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento.

De acordo com o DECRETO N. 8.124, DE 17 DE OUTUBRO DE 2013 em seu Artigo 2°, inciso III diz: bens culturais passíveis de musealização - bens móveis e imóveis, de interesse público, de natureza material ou imaterial, considerados individualmente ou em conjunto, portadores de referência ao ambiente natural, à identidade, à cultura e à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira. Assim, em nosso entendimento, o 'Castelo de Assis Brasil' preenche os requisitos acima citados.

Por fim e a título de pesquisas futuras, questionamos a respeito das razões pelas quais o mesmo não foi, ainda, institucionalizado como museu.


Palavras chave: Castelo. Pedras Altas. Legislação.


Referências 


http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11904.htm < Acesso em: 27/09/2015> 

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Decreto/D8124.htm < Acesso em: 27/09/2015>

www.iphae.rs.gov.br. 



[1] IPHAE – Instituto de Patrimônio Artístico Estadual.