Google+ Badge

COMPARTILHE

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

O QUE É ÉTICA?

Gerson N. L. Schulz



Assunto muito corriqueiro no dia-a-dia, a ética se tornou mais um produto virtual. Desses que se fala muito, e, inclusive, diz-se que está em falta. O dicionário Aurélio afirma que ética significa "estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal". Já para a filósofa Marilena Chauí (em sua obra 'Convite à Filosofia'), a palavra ética está intimamente ligada à palavra costume. Em grego, costume se diz ethos, daí ética. Em latim, mores daí, moral. Isso significa que a palavra moral é apenas a tradução do grego para o latim.


Então se pode inferir que algo considerado errado para a sociedade Ocidental, seja certo para a sociedade Oriental? Sim. Um exemplo é o uso da burca (traje obrigatório em países islâmicos para mulheres) que os ocidentais apontam como violência contra a mulher. Porém, enquanto os ocidentais toleram a pornografia, aqueles países a proíbem por considerarem-na ato criminoso contra a integridade da figura feminina. Assim, como definir o que é certo ou errado, afinal? Em quais pontos sociedades tão diferentes poderiam concordar?


Talvez no que tanja a proteger alguém de coerção, seja por meio da força, a fazer o que não quer; impingir meios para levar uma pessoa à loucura, ao suicídio, a matar ou agredir outrem, ao constrangimento. Isto é, qualquer forma de organização social que se queira ética deve levar em consideração o respeito à vida.


Para isso é preciso que a sociedade civil e politicamente organizada (seja qual for) defina e divulgue claramente por meio de suas instituições educativas, culturais e judiciais o que é considerado violência para si. Ética torna-se "barreira" para os desejos individuais (egoístas) de forma a tornar possível a vida em sociedade, impedindo que os indivíduos se destruam, estabelecendo deveres para garantir direitos.


Posto isto, qualquer código de ética deve se pautar na tolerância e no respeito ao indivíduo/cidadão, impedindo, por quaisquer meios, que a pessoa humana seja considerada objeto. A ética deve garantir que "jamais o homem seja usado como meio para se atingir um fim, mas que a pessoa humana seja o próprio fim." (KANT, Metafísica dos Costumes, 1990).


Enfim, definidas as regras éticas, define-se a Lei. E a Lei deve ser tornada pública de forma que quem for pego transgredindo-a seja julgado e, se condenado, punido. Isso não simplesmente porque está infringindo um código, mas porque ao desrespeitar a Lei, agride a sociedade que a construiu e, conseqüentemente, o direito dos outros, pondo em risco a vida coletiva, garantida pelas instituições eticamente estabelecidas.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigado por comentar os trabalhos dos autores publicados.